XP INVESTIMENTOS É AUTORIZADA PELO BANCO CENTRAL A SE TORNAR UM BANCO

XP INVESTIMENTOS É AUTORIZADA PELO BANCO CENTRAL A SE TORNAR UM BANCO

Presente no mercado há mais de 15 anos, a XP Investimentos vem percorrendo uma longa jornada em busca da ampliação de seu alcance. E parece estar conseguindo. Em janeiro e fevereiro de 2010, foi a corretora que mais negociou ações no sistema da BM&FBovespa. Atualmente, é considerada uma das maiores do Brasil.

Agora, a empresa inicia mais um passo em seu processo. "Ela" recebeu a autorização do Banco Central (BC) para criar um banco. Essa concessão é fruto de um projeto que começou em 2013. A expectativa é que a nova instituição financeira já possa começar a prestar seus serviços no segundo semestre do próximo ano, quando o processo deverá ser concluído.

No entanto, mesmo com o banco já estruturado, a XP precisará de um novo aval do Banco Central, que constitui a licença de operação. Segundo a assessoria de imprensa do BC, a permissão para o funcionamento efetivo do recente "empreendimento" será concedida assim que as exigências previstas na regulamentação em vigor sejam cumpridas. São elas: "constituição da empresa, integralização do capital, implementação da estrutura operacional, eleição dos dirigentes, entre outras providências".

O Banco XP - múltiplo com as carteiras comercial e de investimento - será voltado para os clientes da corretora e sua finalidade principal será auxiliar os investidores em suas operações. Por exemplo, eles terão acesso a empréstimos com garantia em investimentos. Desta forma, não será preciso de desfazer dos ativos em situações emergenciais.

Alguns serviços oferecidos por instituições financeiras tradicionais, como conta corrente e cartão de crédito, devem estar disponíveis apenas mais para frente e não de imediato. As taxas de juros e condições para as "atividades" ainda não foram publicadas.

Informações mais claras e detalhadas em relação a quanto deverá ser investido no projeto ou sobre quem irá presidir o banco, também não foram divulgadas. No entanto, já se pode imaginar que "as rédeas" da nova instituição não deverão ficar com Guilherme Benchimol, fundador e presidente da XP.     

É importante ressaltar também que 49,9% da corretora foi comprada pelo Itaú em 2017.