STARTUP LANÇA BRINQUEDOS COLECIONÁVEIS RASTREADOS NA BLOCKCHAIN DO ETHEREUM

STARTUP LANÇA BRINQUEDOS COLECIONÁVEIS RASTREADOS NA BLOCKCHAIN DO ETHEREUM

Uma startup sediada no Reino Unido lançou uma linha de brinquedos colecionáveis, cuja procedência e autenticidade podem ser verificadas na cadeia de blocos da Ethereum. A empresa, chamada CryptoKaiju, informou que distribuirá o primeiro lote de dados antes do final deste ano.

De acordo com o site da companhia, a linha de brinquedos de vinil, chamada Kaiju, é o primeiro brinquedo colecionável totalmente rastreável numa cadeia pública de blocos. Cada Kaiju é "nascido", criando um token não descartável compatível com o ERC721, o formato padrão para colecionáveis digitais no Ethereum.

O token está contido em um contrato inteligente, junto com os metadados que descrevem as características exclusivas de cada brinquedo. Os dados são armazenados de forma descentralizada e ligados ao Kaiju por meio de uma etiqueta à prova de violação em seu pé.

Ao digitalizar o rótulo do brinquedo, o proprietário pode acessar, através do dApp da empresa ou de um explorador de blocos, informações sobre sua peça. Desta forma, é possível descobrir sua data de nascimento, cor, sexo, uma breve descrição e dois traços de personalidade. Este último fato, além de ser diferente de um produto para outro, pode ser uma característica que o torna uma peça "rara".

Um aspecto interessante também é que o design é inspirado no tema cryptocurrency, combinado com ideias do gênero japonês Kaiju, que inclui grandes monstros que destroem cidades. Daí o nome da coleção.

Como figura de lançamento, a startup criou uma "moeda monstro" identificada com Bitcoin. O personagem foi chamado de "Gênesis", em clara alusão ao primeiro bloco de uma blockchain. Este primeiro colecionável está agora disponível no site da CryptoKaiju, a um custo de US$ 55.

Um dos fundadores da CryptoKaiju, Oliver Carding, relatou que a motivação para empreender o projeto são os problemas de autenticidade que ele experimentou no passado, quando colecionava brinquedos de designers. É por isso que, para este empreendimento, a Carding firmou parceria com os fundadores do mercado de arte digital KnownOrigin.

 

"Quando conheci o pessoal da KnownOrigin, conheci o mundo da arte ERC-721, o que me levou à ideia de criar um colecionador físico, que apresenta muitos desafios, desde como relacionamos o brinquedo ao contrato inteligente até como garantimos que a tag não pode ser removida e anexada a outro item. Com sua vasta experiência no espaço, lançamos um produto do qual me orgulho", declarou ele.

 

O conceito de colecionáveis Kaiju é baseado em três princípios: proveniência, escassez e autenticidade. A esse respeito, Carding informou que o primeiro lote está limitado a 130 números do "Genesis", que não serão relançados. Uma vez esgotada a existência, a empresa criará um novo grupo, que será marcado como um lote diferente no contrato inteligente.

Os colecionáveis digitais da rede Ethereum ganharam grande popularidade graças a aplicativos como o RarePepes e os famosos CryptoKitties. O furor sobre essas peças deu lugar a outros desenvolvimentos desse tipo nas redes blockchain, como as figuras da Major League Baseball. A visão de usar uma rede blockchain para garantir a autenticidade de colecionáveis físicos será testada com os brinquedos Kaiju.