QUATRO DAS MAIORES EMPRESAS AGRÍCOLAS FAZEM PARCERIA PARA DIGITALIZAR COMÉRCIO DE GRÃOS USANDO BLOCKCHAIN

QUATRO DAS MAIORES EMPRESAS AGRÍCOLAS FAZEM PARCERIA PARA DIGITALIZAR COMÉRCIO DE GRÃOS USANDO BLOCKCHAIN

O setor agrícola é um dos que mais podem se beneficiar das vantagens da tecnologia de contabilidade distribuída. De olho nesse cenário, as quatro maiores empresas do agronegócio do mundo estão trabalhando juntas para padronizar e digitalizar as negociações internacionais de grãos usando tecnologias como blockchain e inteligência artificial.

A Archer Daniels Midland, a Bunge Ltd, a Cargill e a Louis Dreyfus - conhecidas coletivamente como os ABCDs do comércio global de grãos - declararam que o esforço tornará as commodities internacionais mais eficientes e transparentes, além de reduzir custos.

O objetivo é substituir um sistema que depende de contratos em papel e faturas e pagamentos manuais com um sistema eletrônico automatizado, disseram as companhias num comunicado conjunto. E a primeira área visada pelas empresas é a automação de processos pós-negociação de grãos e oleaginosas.

É um problema específico que estão tentando tornar mais simples e barato. Só para se ter uma ideia, 275 milhões de emails são enviados anualmente por traders de commodities para processar 11.000 carregamentos de grãos transportados no oceano, explicaram as instituições:

 

"Muitos aspectos do comércio agrícola são altamente manuais e caros: documentos em papel, fac-símiles, redigitação manual de dados e assim por diante. E muitas transações ainda utilizam transferências de documentos em papel".

 

Não foram divulgados mais detalhes sobre a iniciativa ou em quanto tempo um novo sistema seria lançado. A expectativa é que outros trades internacionais de grãos - como a chinesa Cofco e a japonesa Mitsui - se juntem a seus esforços, conforme relataram as companhias.

A ação reflete os movimentos de outras empresas e indústrias para tornar as cadeias de suprimentos mais rastreáveis por meio da utilização de tecnologias como blockchain, que é um registro compartilhado de dados mantido por uma rede de computadores, ao invés de um serviço terceirizado.

A Louis Dreyfus, por exemplo, completou a primeira transação de commodities agrícolas usando blockchain em janeiro, segundo seu CEO Ian Mclntosh.