PRIMEIRO MINISTRO DE MALTA DECLAROU NA ONU: AS CRIPTOMOEDAS SÃO O FUTURO DO DINHEIRO

PRIMEIRO MINISTRO DE MALTA DECLAROU NA ONU: AS CRIPTOMOEDAS SÃO O FUTURO DO DINHEIRO

"O futuro inevitável do dinheiro": foi assim que o primeiro Ministro de Malta, Joseph Muscat, se referiu as criptomoedas durante seu discurso na audiência da Organização das Nações Unidas (ONU) quinta passada, 27. Ele aproveitou sua participação no debate geral da 73ª Assembléia Geral da ONU para se referir  às potencialidades da tecnologia criptoativa e da contabilidade distribuída como maneiras de garantir uma sociedade mais transparente e justa.

Muscat acredita que as novas tecnologias podem resolver os problemas atuais enfrentados por décadas e nos preparar para a transição para uma sociedade digital. Em sua opinião, "aqueles que são capazes de combinar a economia digital com um novo Estado, o Estado digital, estarão melhor preparados para testes futuros" em nível social. O chefe do governo maltês disse ainda que eles decidiram se tornar uma "ilha blockchain". E complementou contando que o país é a primeira jurisdição no mundo para criar legislação para esta nova tecnologia.  

 

"A Blockchain torna as moedas criptografadas o inevitável futuro do dinheiro, mais transparente, pois ajuda a filtrar os bons negócios dos maus negócios. No entanto, essas tecnologias de contabilidade distribuída podem fazer muito mais"

Joseph Muscat

Primeiro Ministro, Malta

 

Muscat exemplificou alguns dos casos de benefício com o uso de tecnologia DLT, como na saúde, onde poderia garantir aos pacientes a propriedade real de seus registros médicos ou verificar se a ajuda humanitária chega ao seu destino. Indicou também que essa inovação tem o potencial de garantir que ninguém seja privado de sua propriedade legítima devido a dados comprometidos e que as empresas sejam mais responsáveis com seus acionistas.

O primeiro ministro reconheceu que os avanços tecnológicos, como blockchain e cryptocurrencies podem ser encontrados com pontos de vista "antagônicos". Entretanto, enfatizou que essa resistência às mudanças é tão "míope" quanto aqueles que "defendem que as charretes não são substituídas por carros".

Malta tornou-se o primeiro país no início de julho a aprovar uma legislação abrangente para criptomoedas e tecnologia de contabilidade distribuída, após a promulgação de três projetos de lei sobre o assunto. A autoproclamada "ilha blockchain" se transformou este ano na sede das operações de grandes empresas do setor, como as casas de câmbio Binance e OKEx.

Outras nações, como as Bermudas, também estão avançando na criação de legislação favorável ao investimento em tecnologia criptografada e criptomoedas. Em maio, este país iniciou uma consulta pública sobre seu plano de regulamentação para transações com criptomoedas, oferta inicial de moeda (ICO) e empresas de Fintech.