PLATAFORMA EM BLOCKCHAIN É CRIADA ATRAVÉS DE PARCERIA ENTRE A BOLSA DE VALORES BRASILEIRA E O BANCO BRADESCO

PLATAFORMA EM BLOCKCHAIN É CRIADA ATRAVÉS DE PARCERIA ENTRE A BOLSA DE VALORES BRASILEIRA E O BANCO BRADESCO

Sabe no que poderia resultar a união da bolsa de valores brasileira (B3) com o banco Bradesco e o consórcio R3?  

Se você pensou em algo inovador e grandioso, acertou. As três instituições se juntaram para criar uma plataforma em blockchain inédita no mercado financeiro e de capitais. O objetivo da iniciativa? Simplificar o registro de CDBs (Certificado de Depósito Bancário) e aumentar a eficiência dos processos existentes, possibilitando inovações tecnológicas.

Já concebida pelo Bradesco dentro de seu setor de inovação (o inovaBra), a plataforma também estará disponível para a participação de outras organizações financeiras e fintechs. A bolsa de valores brasileira ainda irá fazer os últimos ajustes para apresentar o projeto ao Banco Central (BC).

 

“Iniciativas como essa reforçam a atuação da B3 junto aos seus clientes na busca por soluções que aprimorem a infraestrutura do mercado e facilitem a execução das atividades no dia a dia”, declarou a bolsa de valores.

 

Apesar de ser um dos principais bancos nacionais a incentivar avanços na transformação digital e inovação com base em blockchain, o presidente do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco, se mostrou cético algumas vezes em relação ao Bitcoin. "É uma moeda sem lastro, mas é uma quebra de paradigmas. O mercado ainda está em uma curva de aprendizagem em relação a essa moeda", declarou.

Por outro lado, o presidente da BR, Gilson Finkelsztain, fez questão de ressaltar que o blockcahin tem potencial para permanecer e que acredita que os atuais desenvolvimentos da tecnologia ainda não permitiram a criação de um concorrente "real" para o mercado financeiro tradicional.

 

"A blockchain é bastante poderosa e veio para ficar. É uma inovação na qual já investimos em alguns projetos, ao lado de bancos", disse recentemente.