OPERA LANÇA NOVO NAVEGADOR COM CARTEIRA DE CRIPTOATIVOS INTEGRADA E WEB 3

OPERA LANÇA NOVO NAVEGADOR COM CARTEIRA DE CRIPTOATIVOS INTEGRADA E WEB 3

O Opera, um dos maiores navegadores da internet, acaba de lançar um novo navegador denominado Opera 60 (com o nome de código Reborn 3) que possui ainda uma carteira de criptomoedas integrada. O anúncio oficial foi feito ontem, 9.

Além da wallet de criptoativos integrada, o novo navegador apresenta ainda um explorador Web 3, que possibilita aos usuários efetuarem transações e interagirem com a internet baseada em blockchain, conhecida como Web 3. Um recurso de rede privada virtual (VPN) também é oferecido numa tentativa de aumentar a privacidade e segurança dos usuários.

De acordo com o comunicado enviado à imprensa, a Opera Wallet é supostamente sincronizada com a carteira de criptoativos no navegador, o que significa que as chaves de carteira nunca "deixam" os smartphones dos usuários.

Em princípio, parece um processo de autenticação de dois fatores, conforme explicou a empresa no anúncio:

 

"Na prática, sempre que precisam se identificar em um site da Web 3 ou assinar uma transação na blockchain, os usuários recebem uma notificação no smartphone. Eles podem confirmar isso da mesma maneira que desbloqueiam o sistema, usando, por exemplo, reconhecimento facial ou impressão digital".

 

Em julho de 2018 o Opera já havia anunciado a implementação de uma carteira de criptomoedas ao seu navegador Android. Na época, o gerente de produto, Charles Hame, disse:

 

"Nossa esperança é que isso acelere a transição das criptomoedas da especulação e do investimento para o uso em pagamentos reais e transações do dia a dia de nossos usuários".

 

CARTEIRA PARA TODOS

Em setembro do último ano, o Opera estava testando o portfólio com um seleto grupo de beta testers.

 

"Anteriormente, isso só estava disponível para desenvolvedores ou testadores beta e agora todos os nossos usuários terão acesso à carteira de criptomoedas", enfatizou um porta-voz da empresa.

 

Os usuários também podem procurar aplicativos blockchain, digitando seus URLs diretamente na barra de endereços, diz Opera. Há também uma rede virtual privada (VPN) que o Opera diz que foi projetada para ocultar e proteger os dados de seus "clientes".

Anteriormente, o Opera já havia confirmado a integração deste navegador para os clientes do iPhone, o que significa que com esta nova versão para computadores, é possível que todos os seus usuários no mundo tenham acesso a esse modelo do navegador.