O NOVO COMPUTADOR DA IBM NÃO IRÁ PREJUDICAR O BITCOIN

O NOVO COMPUTADOR DA IBM NÃO IRÁ PREJUDICAR O BITCOIN

A IBM (International Business Machines) recentemente revelou seu novo produto na Consumer Electronics Show (CES) deste ano: o Q System One. O computador foi descrito pela empresa como sendo desenvolvido para “uso comercial”. Apesar dos inúmeros meios de comunicação denunciarem novamente a morte iminente do Bitcoin, o sistema quântico da IBM não é o “trocador de jogos” que muitos estão anunciando que seja.

IBM LANÇA SISTEMA DE COMPUTAÇÃO QUÂNTICA

O lançamento comercial da IBM de seu novo sistema de computação quântica tem alimentado relatórios alegando que a tecnologia pode significar uma desgraça para o Bitcoin e a criptografia.

Os relatórios baseiam-se em um temor de longa data de que o advento da computação quântica poderia quebrar práticas contemporâneas de criptografia, minando a segurança das tecnologias de contabilidade distribuída.

O Q System One usa o chip de 20 qubits da IBM e a empresa afirma que a unidade é “projetada para uso comercial”. No lançamento, Arvind Krishna, diretor da IBM Research, descreveu o sistema como “crítico para expandir a computação quântica além das paredes do laboratório de pesquisa enquanto trabalhamos para desenvolver aplicações quânticas práticas para negócios e ciência”.

Apesar do IMB sugerir que o computador pode ser comprado fisicamente, o dispositivo só é acessível através da nuvem devido à extrema delicadeza e “clima” necessários para operar os chips quânticos. De acordo com o Gizmodo, a IBM também “já oferece acesso baseado em nuvem à sua experiência [quântica], que inclui o chip de 20 qubits”.

DÚVIDAS QUANTO AO USO PRÁTICO

Embora vários analistas tenham notado o significado comercial do Q System One da IBM, muitos “espectadores” são céticos em relação às capacidades do sistema, sugerindo que os chips de 50 qubits provavelmente terão uma maior variedade de aplicativos práticos.

Helmut Katzgraber, principal pesquisador da Microsoft Quantum, também descreveu o anúncio da IBM como um "marco histórico para poder adquirir comercialmente um dispositivo digital, mesmo que a tecnologia esteja em sua infância", mas antecipa que o sistema será de pouco uso além da pesquisa e PR.

MARCO COMERCIAL X COMPUTACIONAL

Apesar de descrever a crescente acessibilidade da computação quântica como “significativa”, Andrew Childs, co-diretor do Centro Conjunto de Informação Quântica e Ciência da Computação da Universidade de Maryland, expressou ceticismo quanto ao dispositivo da IBM, afirmando: “Em última análise, acho que descobrir como fazer muitos qubits de baixo ruído é muito mais importante do que descobrir como colocá-los em um pacote bonito”.

 

"É mais como um ponto de partida do que um computador quântico prático. Não pense nisso como um computador quântico que pode resolver todos os problemas pelos quais a computação quântica é conhecida. Pense nisso como uma máquina protótipo que permite testar e desenvolver ainda mais algumas das programações que podem ser úteis no futuro”, declarou Winfried Hensinger, professor de tecnologias quânticas da Universidade de Sussex.