O CEO DE UMA EMPRESA DE TECNOLOGIA NORTE-AMERICANA RESPONDERÁ POR APLICAR GOLPE EM INVESTIDORES DE CRIPTOMOEDAS

O CEO DE UMA EMPRESA DE TECNOLOGIA  NORTE-AMERICANA RESPONDERÁ POR APLICAR GOLPE EM INVESTIDORES DE CRIPTOMOEDAS

O dono de 46 anos de uma empresa chamada CabbageTech foi acusado em Nova York de enganar investidores em um valor de mais de US$ 200 mil em dinheiro e criptomoeda.

O Gabinete do Procurador Geral do Distrito Leste de Nova York anunciou nesta terça, 26, que divulgou um "requerimento" com nove acusações contra Patrick McDonnell, também conhecido como "Jason Flack", com fraude e prendeu-o.

Entre novembro de 2014 e janeiro de 2018, McDonnell supostamente se representava como um operador de criptomoedas experiente, prometendo aos clientes que ele lhes daria conselhos de negociação, bem como comprar e trocar ativos em seu nome.

Diz-se que McDonnell usou sua empresa CabassTech Crop - cuja sede fica em Staten Island, também conhecida como Coin Drop Markets - para solicitar investimentos através de plataformas de mídia social, incluindo Facebook e Twitter.

No entanto, nem ele e nem sua "instituição" forneceram serviços de investimento, de acordo com a acusação. Ao invés disso, McDonnell enviou aos investidores “falsas” declarações de saldos indicando que seus investimentos eram lucrativos e então “roubou seu dinheiro para uso pessoal”. Quando os clientes solicitavam restituições, McDonnell supostamente inventou desculpas por atrasos no pagamento e depois parou de responder.

Conforme consta no documento judicial, o acusado defraudou pelo menos 10 vítimas em cerca de US$ 194.000 em dinheiro, 4.41 bitcoin (US$ 17.500 no momento), 206 litecoins (US$ 12.304), 620 ethereum classic (US$ 2.914) e 1.342.634 (US$ 9.965).

"A fraude do réu termina agora, ele será responsabilizado por sua conduta criminosa", disse Richard P. Donoghue, advogado do Distrito Leste de Nova York. Quando tudo for oficialmente comprovado, McDonnell será condenado a uma pena de prisão de no máximo 20 anos.

McDonnell foi anteriormente processado pelo regulador de derivativos dos EUA, a Commodity Futures Trading Commission (CFTC), em janeiro de 2018 por fugir com os ativos de criptografia dos clientes.

Mais tarde, em julho, a CFTC encerrou o caso e estava buscando uma injunção permanente contra ele. Na época, McDonnell desistiu da luta dizendo que não tinha os recursos ou a capacidade de continuar contestando as acusações feitas.

 

"Por uma questão de pura sobrevivência minuto a minuto, devo continuar a ser removido do processo", disse ele.

 

 

No mesmo caso, o juiz distrital presidencial apoiou notavelmente a CFTC na definição de criptomoedas como commodities. A questão era se a comissão tinha autoridade para regular a criptomoeda como mercadoria na ausência de regras federais e se a lei permitia ao órgão exercer sua jurisdição sobre o assunto.