NOVO RELATÓRIO DO BANCO DE ISRAEL É CONTRÁRIO A CRIAÇÃO DE SHEKEL DIGITAL

NOVO RELATÓRIO DO BANCO DE ISRAEL É CONTRÁRIO A CRIAÇÃO DE SHEKEL DIGITAL

O Banco de Israel divulgou hoje, 7, os resultados de um estudo de pesquisa encomendado no final de 2017 para examinar a viabilidade de emitir uma criptocorrência que seria equivalente em valor ao shekel.

Apelidado de "Shekel Digital", a criptomoeda proposta foi considerada inadequada para as necessidades de Israel em várias áreas e, consequentemente, o relatório recomendou que o banco central não a emitisse num futuro próximo.

RAZÕES PARA O ARQUIVAMENTO DO SHEKEL DIGITAL

Em dezembro do ano passado, uma equipe conjunta do Ministério das Finanças israelense e do Banco de Israel foi convocada sob a supervisão do ex-governador do BoI, Dr. Karnit Flug, para examinar os prós e contras da emissão de uma moeda digital do Banco Central Israelense (CBDC). Os potenciais positivos do shekel digital dado na altura incluíam a provisão de pagamentos mais rápidos e quase instantâneos e a redução da economia não reportada, o que daria origem a um aumento nas receitas fiscais.

No entanto, num anúncio sobre o novo relatório, o BoI deixa claro que, embora a possibilidade de emitir um CBDC não tenha sido permanentemente descartada, a pesquisa recomenda claramente que o status quo seja mantido pelo menos no futuro imediato.

Um trecho da publicação diz:

 

“A equipe não recomenda que o Banco de Israel emita moeda digital no futuro próximo. É necessário continuar examinando o campo e acompanhar os desenvolvimentos em todo o mundo antes que haja bases adequadas para uma decisão de recomendar a emissão de moeda digital".

 

De acordo com o BoI, embora vários bancos centrais em todo o mundo estejam estudando a possibilidade de emitir CBDCs ou incorporar DLT em sistemas de pagamento, nenhum deles numa economia “avançada” emitiu até agora um CBDC para uso geral. Este ponto de vista é apoiado pelo fato de que a Venezuela é o único país do mundo a implementar um programa CBDC em todo o país que teve uma série de controvérsias e fracassos bem divulgados nos últimos meses.

Indo além, o BoI afirma ainda que, apesar de os CBDCs serem úteis com o propósito de manter o acesso público à responsabilidade do banco central no caso de um uso de caixa substancialmente reduzido (como é o caso na Suécia), esse problema não é relevante para Israel no momento. Outro possível uso do Shekel Digital como uma forma de apoiar os sistemas de pagamentos e torná-los mais eficientes é reconhecido como uma ferramenta monetária adicional, mas não um objetivo central da emissão de um CBDC.

O relatório também indica que a introdução de CBDCs traz sua própria ladainha de riscos e dificuldades que podem ter um impacto potencialmente grande sobre o sistema financeiro israelense, o Banco de Israel e o sistema de pagamentos do país. Até que esses riscos sejam totalmente compreendidos, diz o relatório, a equipe de pesquisa continuará estudando o potencial impacto do Digital Shekel e seguindo os desenvolvimentos do CBDC em todo o mundo, para poder recomendar uma mudança no status quo.