NOVA DIRETORA DA CVM TRATARÁ AS CRIPTOMOEDAS COMO PRIORIDADE DURANTE SUA GESTÃO

NOVA DIRETORA DA CVM TRATARÁ AS CRIPTOMOEDAS COMO PRIORIDADE DURANTE SUA GESTÃO

A Comissão de Valores Mobiliários do Brasil (CVM) irá "olhar" com mais atenção para as criptomoedas e suas operações a partir dos próximos anos. Pelo menos será assim no que depender da nova Diretora Geral do órgão, Flávia Martins Sant´Anna Perlingeiro. Indicada pelo próprio presidente Jair Bolsonaro, a bacharel em direito tomou posse oficialmente do novo cargo na última sexta, 15.

Durante uma sabatina realizada no Senado Federal para sua aprovação, Perlingueiro foi questionada sobre o assunto pelo senador Styvenson Valentim (Pode-RN), que perguntou de que forma a autarquia impediria que as moedas digitais sejam usadas para lavagem de dinheiro. E ela respondeu:

 

"As criptomoedas são negociadas em plataformas que são fiscalizadas pelos reguladores, administradores e auditores independentes desses fundos. Isso pode ser um mitigador desse risco de lavagem, mas estamos todos atentos a essa questão".

 

A nova dirigente da CVM declarou ainda que as criptomoedas são um "desafio para o Brasil e o mundo", assinalando que possivelmente o tema não será deixado de lado durante sua gestão no órgão.

Conforme um decreto no Diário Oficial da União (DOU), ela terá um mandato com duração até 31 de dezembro de 2023. Agora, Perlingeiro assume a vaga decorrente do mandato anterior de Pablo Waldemar Rentería.

Além de ser bacharel em direito pela PUC-Rio, a recém-indicada do  atual presidente do país também carrega um currículo bastante relevante: Pós-graduada em Câmbio e Operações Financeiras com o Exterior pela FGV-Rio e mestre em direito pela New York University, ela possui mais de 20 anos de experiência profissional no campo jurídico e de mercado de capitais. Perlingeiro atuou ainda no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e em diversos escritórios de advocacia brasileiros e no exterior.