MULTINACIONAL FARMACÊUTICA TESTA BLOCKCHAIN DA IBM PARA MELHORAR OS ENSAIOS CLÍNICOS

MULTINACIONAL FARMACÊUTICA TESTA BLOCKCHAIN DA IBM PARA MELHORAR OS ENSAIOS CLÍNICOS

Uma multinacional farmacêutica com sede na Alemanha está pronta para testar o Blockchain da IBM no Canadá, em uma tentativa de elevar a qualidade dos testes clínicos.

A Boehringer Ingelheim anunciou que fez uma parceria com a IBM "para melhorar a confiança, a transparência, a segurança e o empoderamento do paciente em testes clínicos" usando a plataforma Blockchain da gigante de tecnologia.

A empresa relatou que o teste tem como objetivo abordar questões de qualidade com processos e registros de ensaios clínicos, que atualmente são "freqüentemente errôneos ou incompletos" e poderiam colocar a segurança do paciente em risco.

BLOCKCHAIN COMO UM ELEMENTO CHAVE

O projeto irá testar de que forma a blockchain pode ajudar a fornecer uma estrutura descentralizada que preserve a integridade dos dados, forneça "proveniência e transparência" e permita a automação do processo, o que acaba aumentando a segurança do paciente e ainda reduzindo custos.  

Sobre a novidade, Uli Brödl, vice-presidente de assuntos médicos e regulatórios da Boehringer Ingelheim (Canadá), comentou:

 

"O ecossistema de ensaios clínicos é muito complexo, pois envolve diferentes partes interessadas, o que resulta em confiança limitada, transparência e ineficiências no processo, sem um verdadeiro empoderamento do paciente".

 

Por sua vez, o gerente geral dos serviços da IBM no Canadá, Claude Guay, disse:

 

"Temos usado Blockchain em outras indústrias e agora estamos investigando como podemos usar essa tecnologia para dar aos pacientes canadenses o mesmo nível de segurança e confiança quando se trata de informações pessoais de saúde".

 

BLOCKCHAIN E OUTROS PRODUTOS FARMACÊUTICOS

Outras grandes empresas farmacêuticas também exploram os benefícios potenciais da integração da tecnologia descentralizada. Em janeiro do último ano, a Pfizer, a Amgen e a Sanofi consideraram a blockchain como uma alternativa para simplificar o processo de desenvolvimento e teste de novos medicamentos.

Em junho de 2018, a Merck estava buscando uma patente para encontrar uma forma de usar a blockchain para rastrear os produtos à medida que se deslocam pela cadeia de suprimentos e, consequentemente, resolver o problema dos medicamentos falsificados.

Finalmente, em abril do ano passado, o grupo de especialistas do governo indiano, NITI Aayog, também estava trabalhando em uma solução blockchain para combater o crescente tráfico de medicamentos falsificados no país.