MINISTÉRIO DA FAZENDA ESTÁ TREINANDO SUA EQUIPE EM BITCOIN, BLOCKCHAIN E DLT

MINISTÉRIO DA FAZENDA ESTÁ TREINANDO SUA EQUIPE EM BITCOIN, BLOCKCHAIN E DLT

Exatamente. O Ministério da Fazenda está capacitando sua equipe técnica em tecnologia de criptografia. As autoridades participaram de uma série de cursos ministrados pela startup brasileira Blockchain Academy (BA).

O conteúdo das oficinas tem como objetivo preparar os participantes para entender o funcionamento, a história do Bitcoin e a tecnologia de criptoativos, incluindo Hyperledger e Corda. Os beneficiários fazem parte do grupo de tecnologia da Dataprev, instituição pública vinculada ao Ministério da Fazenda, responsável pela gestão de dados previdenciários no país (INSS) e que, por sua vez, controla a Previdência Social no Brasil.

De acordo com o boletim oficial, o programa está estruturado nos níveis introdutório, intermediário e avançado, que serão ministrados em 76 horas de treinamento. O contrato entre a BA e a Dataprev foi assinado em novembro, pelo valor de R$ 171 mil e com prazo de quatro meses.

O co-fundador da Blockchain Academy, Thiago Padovan, informou que as aulas começaram no final de novembro e os dois primeiros períodos de curso já foram dados. Cada módulo tinha um quórum de 20 a 25 participantes.

 

"Falamos desde a história da tecnologia até as explicações sobre o que as arquiteturas são mais usadas para alcançar um nível mais técnico para os desenvolvedores", declarou.

 

Ele também revelou que estão em conversações com outras instituições do estado, embora não tenha mencionado quais.

O grupo de instrutores incluiu pessoas relevantes no ecossistema brasileiro, como Rosine Kadamani, fundadora da Blockchain Academy; Solange Gueiros, especialista em Ethereum; Alex Braz, especializado em Bitcoin e infraestruturas distribuídas; e o próprio Thiago, co-fundador da startup educacional.

Até o momento, foram abordados tópicos como os aspectos legais, a inovação através do blockchain e do desenvolvimento no Ethereum, entre outros. Este último é o assunto de maior interesse para as partes contratantes, conforme informações transmitidas.

A Dataprev está entre as instituições do setor público brasileiro que estão usando tecnologia criptoativa para otimizar seus processos. Há um mês, a entidade anunciou que a partir do segundo semestre de 2019, as informações fiscais dos cidadãos seriam registradas numa blockchain institucional. Os dados serão manipulados pela Dataprev, por meio de um sistema G2G (Government to Government) que já está em fase de testes.

Além desta iniciativa, o Banco Central do Brasil (BCB) também está apoiando um grupo de projetos de inovação tecnológica para o setor financeiro, entre os quais três são baseados em tecnologia criptoativa.