MESMO APÓS VETO DO GOOGLE, APP DE MINERAÇÃO PODE SER BAIXADO

MESMO APÓS  VETO DO GOOGLE,  APP DE MINERAÇÃO PODE SER BAIXADO

O Google proibiu recentemente aplicativos de mineração de criptomoedas em sua plataforma Google Play, mas isso não foi o suficiente para inibir o compartilhamento dos desenvolvedores e vários aplicativos ainda podem ser baixados, conforme notou o The Next Web (TNW).

Um dos exemplos é o aplicativo JSEcoin, recém lançado por uma startup britânica de blockchain. A empresa havia anunciado o programa no início da semana passada e até então a inclusão no Google Play tinha sido bem sucedida, pois o app estava disponível para download.

O programa trazia uma funcionalidade para gerenciar mineração remotamente e, mesmo que esse recurso vá contra a nova política do Google, o aplicativo tinha sido aprovado na plataforma.

Procurado pela TNW, John Sim, cofundador e diretor de tecnologia da JSEcoin, disse, via e-mail, que estava tudo certo e que não havia dado nenhum problema.

De acordo com o diretor, eles se comunicaram com uma equipe do suporte do Google para confirmar se teriam a permissão para liberar seus usuários a extraírem seus tokens por meio do JSEcoin, salientando que estavam cientes da política de restrição.

O próximo passo do TNW foi entrar em contato com o Google e solicitar esclarecimento acerca da nova política de mineração e como ela é aplicada. A equipe respondeu:

“Atualizamos regularmente nossas políticas de desenvolvedores, de acordo com as melhores práticas atuais, para manter uma experiência segura e positiva para desenvolvedores e consumidores no Google Play“.

Após os diálogos, o aplicativo JSEcoin não pode mais ser encontrado no buscador, o que fez com que o TNW voltasse a falar com o suporte. A equipe do Google, então, disse que havia suspendido o aplicativo e citou uma violação de seus termos.

“Infelizmente, mesmo com baixo consumo de energia e consumo de CPU, não podemos permitir a mineração. Não permitimos aplicativos que usam criptomoedas em dispositivos”.

John Sim disse que depois da exclusão do aplicativo ele e sua equipe iriam eventualmente procurar o Google durante o mês para ver quais opções eles teriam. Ele também comunicou que a empresa enviou à plataforma uma outra versão do aplicativo sem capacidade de mineração em smartphones.

Sim também frisou que outro aplicativo JSEcoin Mining não oficial que está na plataforma desde o começo deste ano ainda não tinha sido removido.

O TNW também achou muitos outros aplicativos de mineração que estão disponíveis no Google Play, o que faz pensar que no caso do JSEcoin o app teve uma apreciação somente após a provocação. Veja alguns encontrados:

MinerGate, já foi baixado mais de 1 milhão de vezes; Crypto Miner PRO, Pocket Miner, AA Miner, NeoNeonMiner, Pickaxe Miner, Bitcoin Miner, Free BCH Miner, e muitos outros.

Após a publicação da reportagem, o Google entrou em contato com o TNW para esclarecer que os desenvolvedores têm 30 dias para garantir que seus aplicativos estejam de acordo com as políticas revisadas. Isso explica o porquê de alguns aplicativos de mineração continuarem aparecendo na Google Play, notou o site.

O cerco que ainda não vingou

No mês passado, o Google fez uma alteração nos termos da Central de políticas do desenvolvedor e proibiu aplicativos de mineração de criptomoedas no Google Play.

A proibição aconteceu num período em Google e Apple promoviam ações em desfavor à atividade de mineração e também a anúncios de ofertas de startups oriundas do mercado criptoeconômico.

Em junho a Apple já havia feito uma atualização nas diretrizes de uso dos aplicativos iOS e Mac na Apple Store e também já tinha proibido a atividade de mineração de criptomoedas em iPhones e iPads.

Na ocasião, a empresa também informou que outras funções, como gerenciar e comercializar criptoativos ainda serão permitidas, mas que as carteiras de criptomoedas devem ter boas procedências.