MALÁSIA RECORRE A VERIFICAÇÃO DE DIPLOMAS COM BLOCKCHAIN PARA COMBATER FRAUDE DE GRADUAÇÃO

MALÁSIA RECORRE A VERIFICAÇÃO DE DIPLOMAS COM BLOCKCHAIN PARA COMBATER FRAUDE DE GRADUAÇÃO

Pois é. O Ministério da Educação da Malásia está recorrendo a tecnologia blockchain para combater as fraudes de graduação cada vez mais crescentes no país. O órgão aplicou então um sistema de emissão e verificação de diplomas universitários baseados no blockchain do NEM. Conhecido como e-Scroll, a ideia do aplicativo foi discutida no início deste ano pelo Conselho de ICT Deans das universidades da Malásia.

Espera-se que o sistema e-Scroll combata os casos de diplomas falsos recorrentes no país asiático, alguns dos quais estão sendo adquiridos online em "fábricas de diploma". Os certificados educacionais falsificados não apenas prejudicam os estudantes genuínos, como também representam numerosos riscos para a sociedade, quando setores críticos - como os da área de saúde, por exemplo - contam com pessoas com conhecimentos questionáveis.

 

"Percebendo a necessidade de salvaguardar a reputação e a integridade das universidades malaias, o Ministério da Educação tomou uma medida decisiva para evitar tal grau de fraude que também engana e injustamente desfavorece os estudantes genuínos", declarou o Ministério da Educação da Malásia por meio de uma publicação no Twitter.

 

MELHORANDO A EFICIÊNCIA NA VERIFICAÇÃO

Atualmente, as universidades na Malásia recebem milhares de solicitações de todo o mundo requisitando a verificação de certificados educacionais. Até agora, isso tem sido altamente ineficiente, pois a investigação é feita através de e-mails e telefone.

De acordo com o Ministério da Educação da Malásia, o blockchain NEM foi escolhido porque possui características únicas no que diz respeito à autenticação e ao gerenciamento da rastreabilidade. Um código QR é impresso no certificado e, sempre que for necessário verificar, o código é escaneado de qualquer parte do mundo, desde que haja uma conexão com a Internet.

Durante a primeira etapa da implementação do sistema e-Scroll, todos os diplomas dos estudantes de doutorado que se formarão este mês pela Universidade Islâmica Internacional da Malásia serão incorporadas ao blockchain.

 

CONSÓRCIO BLOCKCHAIN

Ao mesmo tempo, o Ministério da Educação da Malásia também lançou um consórcio de tecnologia descentralizada, cujos membros são em grande parte provenientes de universidades do país. O objetivo é ajudar na formação de acadêmicos e estudantes sobre o blockchain.

Além disso, o consórcio também espera desenvolver aplicações blockchain potencialmente, tornando isso um gerador de receita para as instituições parceiras.

As seis universidades fundadoras do consórcio são: a Universidade Islâmica Internacional da Malásia (IIUM), Universiti Utara Malásia (UUM), Universidade de Tecnologia da Malásia (UTM), Universiti Malásia Sabah (UMS), Universiti Malásia Terengganu (UMT) e Universiti Teknologi MARA (UITM).