GOVERNO DA FRANÇA PODE PROIBIR CRIPTOMOEDAS COM FOCO EM PRIVACIDADE

GOVERNO DA FRANÇA PODE PROIBIR CRIPTOMOEDAS COM FOCO EM PRIVACIDADE

O Comitê de Finanças da Assembléia Nacional da França decidiu contra o uso de criptomoedas que implementam medidas fortes para garantir a privacidade das operações, o que leva à possibilidade de moedas digitais como Monero, Dash e Bitcoin Private se tornarem ilegais no país.

Esta não seria a primeira vez que uma nação tentaria proibir o uso de criptoativos com forte ênfase na privacidade. Embora a perspectiva dos governos esteja cada vez mais inclinada ao uso de criptocorrências, ainda há uma forte rejeição aos ativos digitais que oferecem essa margem de liberdade às pessoas para operações financeiras.

O ministro do Trabalho e Orçamento, Eric Woerth, explicou em um relatório publicado pelo comitê:

 

"Devemos estar conscientes dos problemas que as criptomoedas podem apresentar quando se fala em fraude, evasão fiscal, lavagem de dinheiro e consumo de energia. Também seria apropriado propor uma proibição para a difusão e comércio com moedas digitais criadas para garantir anonimato completo evitando a filtragem das informações dos usuários... Este é o caso de certas moedas digitais (Monero, PIVX, DeepOnion, ZCash...), cuja finalidade é baseada em manter escondidos quaisquer dados associados aos titulares. No momento, os regulamentos sobre criptomoedas não chegam a abordar esses aspectos".

 

CRIPTOMOEDAS FOCADAS EM PRIVACIDADE

Moedas com ênfase em privacidade funcionam como qualquer outra criptomoeda, embora implementem certas medidas que ajudam a manter os dados associados à operação secretos.

Criptomoedas como o Bitcoin, apesar de lidarem com transações anônimas, podem ser rastreadas observando-se cuidadosamente os movimentos e transações feitos a partir da carteira através de um navegador de blocos. Por outro lado, as moedas privadas minimizam o nível de exposição para garantir a descentralização total, tornando impossível rastrear os comerciantes e investidores que usam esses tokens.

Embora isso pareça bom para muitos, também deixa uma lacuna para as pessoas que cometem crimes e recebem a remuneração correspondente em moedas privadas, por isso os governos estão muito preocupados com o uso que pode ser feito destas.

MEDIDAS DO GOVERNO FRANCÊS

Especialistas dizem que é muito improvável que a França determine uma proibição geral de criptomoedas com ênfase em privacidade no curto prazo, já que será muito difícil para o governo bloquear o uso desses ativos digitais e permitir o comércio com outras moedas virtuais.

Caso queira interromper as operações com esses tokens, o governo teria que aplicar medidas efetivas para todas as moedas digitais. Dada a posição progressiva com que a França lida legalmente com o uso de criptomoedas, é improvável que pense em soluções tão radicais, uma vez que estas representariam um revés para a nação européia em termos de blockchain e criptografia.