GMO ANUNCIOU QUE NÃO PRODUZIRÁ MAIS HARDWARE DE MINERAÇÃO DE CRIPTOMOEDAS

GMO ANUNCIOU QUE NÃO PRODUZIRÁ MAIS HARDWARE DE MINERAÇÃO DE CRIPTOMOEDAS

A empresa, especializada em infraestrutura de Internet, informou que as perdas de seus negócios relacionados à mineração com criptomoeda estarão registradas em 35,5 bilhões de ienes (US$ 320 milhões) no final deste ano. Este montante inclui tanto as operações internas de mineração quanto a fabricação de equipamentos especializados para a atividade.

De acordo com a publicação, as operações relacionadas às moedas digitais foram afetadas pelo mercado de baixa, portanto, será difícil recuperar os valores contidos nos livros contábeis. Nesse sentido, a GMO decidiu declarar "perdas extraordinárias" nessas áreas e "interromper o desenvolvimento, fabricação e venda de máquinas de mineração".

Sobre a produção de equipamentos de mineração, o consórcio registrou prejuízos de 24,5 bilhões de ienes, cerca de 221,4 milhões de dólares, compostos principalmente por contas a receber. O GMO observou que a maioria das perdas correspondem a um adiantamento para a fabricação de hardware especializado.

 

"Pagamos pelos custos necessários para fabricar as máquinas de mineração e comprar as máquinas de mineração da empresa de desenvolvimento. Este foi processado como um adiantamento nas demonstrações financeiras. O adiantamento do pagamento inclui a maior parte das perdas devido à transferência de contas a receber", declarou o GMO.

 

Os ativos relacionados à fabricação e desenvolvimento de instrumentos de mineração serão transferidos para uma subsidiária da Tani Corporación Electrónica, uma "instituição" de tecnologia sediada em Tóquio.

A empresa japonesa especializada em soluções de Internet se interessou pelo desenvolvimento de hardware para mineração de criptomoeda em setembro do ano passado. Em julho, lançou o GMO B3, um equipamento de mineração de bitcoin com capacidade de processamento de 33 TH/s, o mais potente do mercado até o momento.

REESTRUTURAÇÃO DE ATIVIDADES DE MINERAÇÃO

A mineração interna da GMO registrou perdas extraordinárias calculadas em 11,5 bilhões de ienes (US$ 104 milhões). Como afirmado no comunicado, "o preço da criptocorrência diminuiu e nossa participação na mineração não aumentou como esperado devido ao aumento da taxa de hash, que estava além do nosso pressuposto inicial".

No entanto, criptobolsa Bitmex declarou, via Twitter, que os saldos vermelhos do GMO podem não ser uma consequência do estado atual do mercado: "Nós duvidamos que eles já tiveram uma vantagem competitiva".

 

Fonte: Página oficial da BitMEX Research no Twitter

Ao contrário da produção de hardware de mineração, a GMO manterá suas operações internas de mineração. No entanto, anunciou que irá realocar seu centro de mineração para um local mais vantajoso em termos de custos para o consumo de eletricidade.

A empresa iniciou seu negócio de mineração de criptomoeda em dezembro de 2017. De acordo com seu mais recente relatório de desempenho, a taxa do GMO em outubro foi de 674 PH/s para Bitcoin e Bitcoin Cash, com uma projeção de 800 PH/s para o fechamento de 2018.