FUNDAÇÃO BILL & MELINDA GATES FAZ PARCERIA COM A COIL EM INICIATIVA DE INCLUSÃO FINANCEIRA

FUNDAÇÃO BILL & MELINDA GATES FAZ PARCERIA COM A COIL EM INICIATIVA DE INCLUSÃO FINANCEIRA

A Fundação Bill & Melinda Gates está formando uma parceria com a Coil - uma empresa de blockchain sediada na Califórnia - com o objetivo de aumentar o acesso financeiro a comunidades sem banco e desprivilegiadas.

Inicialmente anunciado pelo principal tecnólogo e vice-diretor da fundação, Miller Abel, a iniciativa foi confirmada posteriormente pela startup blockchain fundada por um ex-diretor de tecnologia da Ripple, Stefan Thomas.

Além de implementar o Ripple’s Interledger Protocol,  também serão exploradas formas de usar o software de pagamentos de código aberto MojaLoop para permitir sistemas de desembolso voltados para os pobres. A Gates Foundation forneceu o financiamento para o desenvolvimento do MojaLoop. Além da Ripple, outras empresas que estavam envolvidas na elaboração do sistema de pagamento "pró-pobre" incluíam a Crosslake Technologies, o Software Group, o ModusBox e o Dwolla.

O PROBLEMA DA INTEROPERABILIDADE

Na época de seu lançamento, há um ano, o software de código aberto MojaLoop foi saudado como sendo a resposta para aumentar a inclusão financeira, uma vez que resolveu o problema de interoperabilidade que foi identificado como um grande obstáculo no que diz respeito à ampliação do acesso a serviços financeiros básicos:

 

“A interoperabilidade dos pagamentos digitais tem sido o obstáculo mais difícil para a indústria de serviços financeiros superar. Com a Mojaloop, nossos parceiros de tecnologia finalmente conseguiram uma solução que pode ser aplicada a qualquer serviço e convidamos os bancos e a indústria de pagamentos a explorar e testar essa ferramenta”.

 

Naquele período, a Gates Foundation - usando estatísticas obtidas do Banco Mundial - observou que cerca de dois bilhões de pessoas nos países em desenvolvimento não tinham acesso a contas bancárias e, portanto, não podiam usufruir da segurança e dos benefícios oferecidos pelos serviços financeiros básicos.

PARA O BEM

Além desse esforço colaborativo com a Fundação Bill & Melinda Gates, a Ripple também anunciou algumas iniciativas filantrópicas. No final do mês passado, por exemplo, a empresa de fintech lançou um programa de impacto social conhecido como "Ripple for Good", que já tinha recebido compromissos de doadores superiores a US$ 100 milhões.

Assim como o trabalho feito com a Fundação Gates, o programa "Ripple for Good" irá focar nas comunidades sem banco e, consequentemente, financiará principalmente projetos educacionais voltados para o aumento da inclusão financeira em todo o mundo. Na época, Chris Larsen, presidente executivo e co-fundador da Ripple, ressaltou a importância de desenvolver produtos que tenham casos de uso no mundo real:

 

“Temos que parar de ser disruptores arrogantes e nos concentrar em construir coisas que resolvam problemas do mundo real. Se nos concentrarmos no movimento blockchain, mais de dois bilhões de pessoas sub-bancárias podem se tornar cidadãos econômicos plenos”, argumentou.