FORTNITE STORE ACEITA PAGAMENTOS COM MONERO POR ACIDENTE E SITUAÇÃO É ESCLARECIDA

FORTNITE STORE ACEITA PAGAMENTOS COM MONERO POR ACIDENTE E SITUAÇÃO É ESCLARECIDA

O Fortnite, um dos jogos de videogame mais famosos do mundo, foi envolvido recentemente numa "polêmica" sobre a adoção de criptomoedas por parte de seus desenvolvedores. Havia circulado na primeira semana deste ano a notícia de que a loja do game poderia aceitar o Monero e talvez outros criptoativos como forma de pagamento.

Entretanto, a informação foi recentemente esclarecida e desmentida. O fundador da Epic Games - empresa responsável pelo Fortnite -, Tim Sweeney, informou através de sua conta na rede social Twitter que a loja de merchandise Fortnite habilitou o Monero (XMR) como meio de pagamento acidentalmente. A publicação apareceu neste domingo, 6.

O esclarecimento de Sweeney reverteu a informação que foi amplamente divulgada em 1º de janeiro deste ano, quando os usuários tomaram conhecimento da incorporação de pagamentos com a XMR. Na página oficial de compras de mercadorias do Fortnite, foi apresentado o processador de pagamento por criptografia Globee, que também opera com bitcoin (BTC), éter (ETH), litecoin (LTC) e dogecoin (DOGE). No entanto, o Monero foi a única criptomoeda ativada. Atualmente, a Globee foi removida como processador de pagamento para a loja online.

De acordo com Sweeney, a Fortnite não tinha a intenção de incorporar criptomoedas como pagamento de produtos promocionais de jogo popular.

 

"A breve incursão Fortnite cripto foi acidental. Nós trabalhamos com um parceiro para abrir uma mercadoria da loja, e em algum lugar ao longo do pagamento maneira foi equipado com Monero", declarou em seu tweet.

 

Ele ainda esclareceu que a Epic não tem par no campo da criptomoedas, nem está em discussões para parceria com empresas do setor.

 

"Nós lemos muitos documentos e conversamos com pessoas inteligentes para saber mais, antecipando uma possível interceptação", relatou Sweeney.

 

O fundador da Epic Games observou ainda que a empresa e o grupo são "grandes fãs de tecnologia descentralizada", porém não estão dispostos a aceitar criptomoedas.

 

"É necessário muito mais trabalho sobre a volatilidade e a prova de fraude antes de aceitar [o pagamento com criptocorrências] para um público tão amplo que inclua jogadores mais jovens", explicou.

 

Embora o comentário deixe em aberto a possibilidade de que no futuro as criptomoedas sejam incorporadas ao comércio de artigos oficiais do Fortnite, ele também refuta os comentários do desenvolvedor do Monero, Ricardo Spagni, que expressou sua emoção pela incorporação XMR para a loja Fortnite e observou que seus administradores estavam interessados em adicionar pagamentos bitcoin, usando a Rede Lightning. Ele também disse que, para isso, tiraria proveito das facilidades oferecidas pela Globee, startup na qual é executivo.

O Fortnite é um dos videogames mais populares do mundo, com cerca de 125 milhões de jogadores. Um estudo do consumidor, realizado por ocasião da temporada de férias de 2018, refletiu que os adolescentes americanos incluíam em suas listas de desejos criptomoedas e V-bucks, o símbolo do dito jogo.

Por enquanto, as expectativas de adoção de criptomoedas para o mercado de produtos deste famoso game foram suspensas. No entanto, em 2018, grandes empresas do setor de videogames, como a Ubisoft e a Atari, se aventuraram em produtos baseados na tecnologia descentralizada.