FMI E BANCO MUNDIAL LANÇAM TOKEN EDUCACIONAL APOIADO EM BLOCKCHAIN

FMI E BANCO MUNDIAL LANÇAM TOKEN EDUCACIONAL APOIADO EM BLOCKCHAIN

O Fundo Monetário Internacional (FMI) e o Banco Mundial lançaram um token de criptografia chamado "Learning Coin" para entender melhor como funciona a tecnologia Blockchain.

Nesse sentido, as duas instituições afirmaram que a criptomoeda não teria valor monetário e não estaria disponível abertamente e para dar suporte ao novo token, também foi "inaugurada" uma rede privada Blockchain.

O objetivo do projeto é justamente estabelecer "uma base sólida de conhecimento" em torno da tecnologia descentralizada entre as equipes das organizações.

O FMI declarou à mídia:

 

"O desenvolvimento de criptoativos e tecnologia de contabilidade distribuída está evoluindo rapidamente, assim como a quantidade de informação (tanto neutra quanto adquirida) que a envolve. Isso está forçando os bancos centrais, reguladores e instituições financeiras a reconhecer uma crescente lacuna de conhecimento entre os formuladores de políticas, economistas e tecnologia".

 

APLICATIVO INCLUÍDO

Um aplicativo denominado "Learning Coin" também foi lançado como parte do projeto de token, que permite aos usuários compartilhar conteúdo, como blogs, pesquisas, vídeos e apresentações. Os funcionários de ambas as organizações também pode "ganhar" moedas, alcançando certos marcos educacionais.

Embora o token não tenha valor no mundo real, os desenvolvedores estão testando como a equipe pode trocá-lo por prêmios.

Essa notícia vem cinco meses depois que a chefe do FMI, Christine Lagarde, encorajou a exploração das moedas digitais do banco central (CBDC), à luz da queda na demanda por dinheiro e da crescente preferência pelos criptoativos.

Por outro lado, no meio do ano passado, o Banco Mundial passou a usar Blockchain para um acordo de títulos que levantou US$ 81 milhões. Os investidores em obrigações incluíram o CommBank, a QBE Insurance, a NSW Treasury Corporation e a Northern Trust, entre outros.