FAMÍLIAS VENEZUELANAS NA FRONTEIRA COM O BRASIL RECEBERAM DOAÇÕES EM CRIPTOATIVOS

FAMÍLIAS VENEZUELANAS NA FRONTEIRA COM O BRASIL RECEBERAM DOAÇÕES EM CRIPTOATIVOS

A Coinbase, agência norte-americana de criptomoedas, anunciou que está preparando uma doação em Zcash para 100 famílias venezuelanas que residem na cidade de Santa Elena de Uairén, na fronteira com o Brasil. A startup indicou que contribuirá com 10 mil dólares para serem distribuídos por três meses, a uma taxa de um dólar por dia, para que os moradores possam comprar alimentos básicos, como proteínas não animais e vegetais.

O dinheiro da Coinbase vai para a GiveCrypto, uma filial da casa de câmbio dedicada a doações. Por meio de um comunicado, a empresa declarou: "com o nosso presente, a organização colocará US$ 1 em moedas criptografadas, diretamente nos portfólios criptoativos de mais de 100 famílias em Santa Elena, todos os dias durante 3 meses".

É necessário esclarecer que a Coinbase irá transferir os referidos fundos em Zcash para a GiveCrypto, mas a organização sem fins lucrativos fará o pagamento diário em EOS. Isso ocorre porque o comércio de Santa Elena de Uairén, que aceita criptoativos, gerencia essa criptomoeda, conforme indicado por um porta-voz. Em relação ao processo de troca e compra de alimentos, a instituição indicou:

 

"Os beneficiários podem comprar alimentos e suprimentos básicos em uma loja local que aceita pagamentos em moedas criptografadas, subsidiando as despesas diárias. Com este equivalente de US$ 1 por dia pode comprar 1-2 quilos de proteína (não animal) ou 2 quilos de legumes. Os destinatários virão das redes de famílias venezuelanas que já estão no programa GiveCrypto.org com Bonnum".

Coinbase

 

 

Sobre o motivo para doar em criptomoedas ao invés de dinheiro, a Coinbase explicou que muitas famílias na área não têm acesso a contas bancárias. A agência também relatou que, devido à volatilidade do bolívar e do processo de inflação, as doações "em dinheiro podem ser de pouco valor para muitos dos necessitados". O anúncio da empresa faz parte de uma estratégia de fim de ano chamada "12 dias da Coinbase", na qual serão divulgadas propostas para múltiplos usos de criptomoedas.

SOLUÇÃO PALIATIVA

Embora a iniciativa possa ajudar a resolver problemas específicos entre pessoas sem acesso à terra ou que moram em lugares remotos, é importante ressaltar que essa é uma contribuição para aliviar a situação e não uma solução definitiva. A Venezuela atravessa uma profunda crise econômica, social e política que, segundo estimativas da Assembléia Nacional, resultou em uma inflação anualizada, para novembro deste ano, de 1.300.000%.

Nesse sentido, é necessário indicar que as fronteiras tanto da Venezuela com a Colômbia e com o Brasil, tornaram-se áreas onde entram diariamente milhares de venezuelanos que procuram deixar o país em busca de um futuro melhor. Essa situação gerou um enorme fluxo migratório que transbordou a capacidade de atenção das nações vizinhas. Mesmo no Brasil, houve casos de xenofobia e muitos dos venezuelanos foram atacados na fronteira, por isso decidiram voltar para Santa Elena.

A proposta da Coinbase chega justamente quando diversas criptocelebridades convocaram rodadas de doações para os venezuelanos. Entre eles estão Roger Ver, chefe da Bitcoin Cash e Zokoo Wilcox, CEO da Zcash. A iniciativa da AirTM, chamada AirdropVenezuela, também está em desenvolvimento.