FACEBOOK ESTARIA BUSCANDO US$ 1 BILHÃO EM FINANCIAMENTO PARA PROJETO CRIPTO, REVELAM FONTES

 FACEBOOK ESTARIA BUSCANDO US$ 1 BILHÃO EM FINANCIAMENTO PARA PROJETO CRIPTO, REVELAM FONTES

Nathaniel Popper, jornalista do setor de tecnologia do New York Times, postou em seu perfil no Twitter que o Facebook está à procura de grandes investimentos para seu projeto de criptomoeda. A informação foi divulgada nesta segunda, 8, no relato do repórter, que também é um personagem reconhecido dentro do sistema de criptografia, sendo autor do "Digital Gold", um dos primeiros livros sobre Bitcoin.

Em uma série de publicações, Popper afirmou ter tido acesso a fontes confidenciais que comunicaram a intenção do gigante das redes sociais de obter cerca de US$ 1 bilhão em investimentos para fortalecer sua criptografia. Para este efeito, o Facebook estaria à porta de várias empresas de investimento de capital de risco.

 

"Atualização sobre a criptomoeda do Facebook: Fontes me dizem que o Facebook está agora querendo que as empresas de VC invistam no projeto de criptomoedas do Facebook que reportamos no início deste ano. Ouvi dizer que eles estão direcionando grandes somas - até US$ 1 bilhão", publicou Popper em seu Twitter. 

 

O jornalista disse que, de acordo com suas fontes, o Facebook está falando sobre o uso dos fundos para estabelecer a garantia do tesouro que suporta sua criptomoeda. Desta forma, é importante lembrar que em dezembro de 2018, surgiu a notícia de que a principal plataforma de mídia social - que também possui o Instagram e o WhatsApp - estava trabalhando no desenvolvimento de sua própria stablecoin, conforme foi informado aqui no BTC Brasil.  

Posteriormente, o próprio Popper publicou que o suporte que manterá um valor estável do criptoativo do Facebook será uma cesta de moedas que inclui o dólar americano, o euro e outras moedas estrangeiras.

 

"Como uma das grandes atrações dos projetos blockchain é a descentralização, conseguir investidores externos poderia ajudar o Facebook a apresentar o projeto como mais descentralizado e menos controlado pelo Facebook", explicou Popper.

 

O objetivo inicial do Facebook, com a criação de sua própria criptografia, seria inserir funções de pagamento dentro do aplicativo de mensagens instantâneas WhatsApp, que permite a transferência de remessas. No entanto, uma ferramenta dessa natureza pode ter múltiplos usos em uma plataforma de massa como o Facebook.