ECONOMISTA INDICADO PARA ASSUMIR A PRESIDÊNCIA DO BANCO CENTRAL DO BRASIL PRETENDE PRIORIZAR BLOCKCHAIN

ECONOMISTA INDICADO PARA ASSUMIR A PRESIDÊNCIA DO BANCO CENTRAL DO BRASIL PRETENDE PRIORIZAR BLOCKCHAIN

O setor de criptografia e a tecnologia blockchain podem não ter sido incluídos nas metas para os 100 primeiros dias do governo atual, como já noticiado aqui pelo BTC Brasil. No entanto, estão nos planos do economista Roberto Campos Neto para serem adotados em iniciativas no Banco Central do Brasil (Bacen). Como ele foi indicado pelo próprio presidente Jair Bolsonaro e por Paulo Guedes para assumir o comando da instituição financeira, há boas chances de mais investimentos em criptomoedas e na tecnologia descentralizada, quem sabe.  

Neto deve assumir "as rédeas" do Banco em março, após terem sido concluídos os trâmites para a aprovação de seu novo cargo - já que sua indicação precisa passar pelo Senado. Aliás, em uma carta enviada ao órgão federal, o economista deixou bem claro que vai tratar como prioridade o desenvolvimento da entidade bancária junto à novas tecnologias (como a blockchain) e moedas digitais.

 

“Tenho estudado e me dedicado intensamente ao desenho de como será o sistema financeiro do futuro. Participei de estudos sobre blockchain e ativos digitais. Uma das contribuições que espero trazer para o Banco Central é preparar a instituição para o mercado futuro, em que as tecnologias avançam de forma exponencial, gerando transformações mais aceleradas”, afirmou.

 

Neto também apresentou um pouco de sua trajetória profissional no documento, mencionando ter passagem pelo Santander, onde já foi responsável pela tesouraria da instituição para toda a América Latina. Segundo ele, o cargo lhe possibilitou elaborar um projeto global de inovação tecnológica, que resultou na criação de um banco digital denominado SuperDigital.

O investimento em blockchain e criptomoedas não é algo totalmente inédito no Banco Central. Durante a gestão do atual presidente Ilan Goldfajn, a entidade bancária proporcionou o surgimento das plataformas independentes de serviços financeiros, as fintechs. No ano passado, até mesmo regulamentou o trabalho das que atuavam com crédito.

Para este ano, Ilan já havia indicado que o Bacen poderia iniciar a implementação do pagamento instantâneo, ou seja, transferências bancárias ocorrendo em tempo real. Além disso, também seria ativado o funcionamento do open banking, que oferece aos clientes o poder de acesso e movimentação de dados bancários, abrindo espaço para maior concorrência no mercado de crédito e pagamento.

Neto sinalizou em sua carta que pretende seguir os passos de Ilan e, eventualmente, até avançar mais. O economista inclusive elogiou a atuação do BC, especialmente no que se refere ao controle inflacionário.

 

“Ressalto a importância da recente consolidação da inflação em torno da meta e da ancoragem das expectativas de inflação, o que permitiu a redução sustentável das taxas de juros e contribuiu para a recuperação da economia”, comentou.

 

Ele acrescentou ainda revelando que participou da constituição atual da política econômica e assegurou ter "perfeita afinidade intelectual e moral com a equipe econômica", coordenada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes.