DIRETORA DO FMI DIZ QUE AS CRIPTOMOEDAS E A BLOCKCHAIN ESTÃO "AGITANDO" O SISTEMA FINANCEIRO TRADICIONAL

DIRETORA DO FMI DIZ QUE AS CRIPTOMOEDAS E A BLOCKCHAIN ESTÃO "AGITANDO" O SISTEMA FINANCEIRO TRADICIONAL

Christine Lagarde, diretora administrativa do Fundo Monetário Internacional (FMI), declarou recentemente que tecnologias financeiras como criptomoedas e redes de blockchain estão “sacudindo” o sistema bancário e precisam ser regulamentadas.

Os comentários dela foram feitos ontem, 10, durante uma entrevista à agência de notícias CNBC, após um painel dedicado ao tema "Dinheiro e Pagamentos na Era Digital", que contou com Jeremy Allaire, do Circle, e Sarah Youngwood, do JPMorgan Chase.

A chefe do FMI apontou que os modelos de negócios em mutação dos bancos comerciais são evidências de inovações como as criptomoedas que estão "agitando" o setor financeiro:

 

"Eu acho o papel dos disruptores e qualquer coisa que use a tecnologia de contabilidade distribuída, que você chame isso de criptoativos, moedas ou qualquer outra coisa - e está longe dos Bitcoins sobre os quais conversamos há um ano - está claramente agitando o sistema".

 

No entanto, ela também alertou que tais mudanças no setor financeiro devem ser acompanhadas de regulamentação:

 

"Não queremos inovações que abalariam tanto o sistema que perderíamos a estabilidade necessária".

 

Notavelmente, várias startups e grandes empresas de tecnologia estão cada vez mais de olho no setor bancário como um mercado multitrilionário maduro para a ruptura. O Facebook, por exemplo, está desenvolvendo sua própria criptomoeda e a Apple lançou seu próprio cartão de crédito em parceria com a Goldman Sachs no mês passado.

Os bancos responderam com suas próprias tentativas de adotar novas tecnologias. O JPMorgan está testando um token digital chamado “JPM Coin” que instantaneamente liquidaria pagamentos entre clientes e a Goldman Sachs está expandindo seu banco de varejo digital chamado Marcus no exterior.

Lagarde disse que as empresas de tecnologia que entram no espaço bancário "com força" devem estar sujeitas a regulamentação.

 

"Eles terão que ser responsabilizados para que possam ser totalmente confiáveis", disse ela.