CRIPTOMOEDAS GANHAM POPULARIDADE EM RELAÇÃO A OUTROS MEIOS DE ENVIO DE REMESSAS, DIZ RELATÓRIO

CRIPTOMOEDAS GANHAM POPULARIDADE EM RELAÇÃO A OUTROS MEIOS DE ENVIO DE REMESSAS, DIZ RELATÓRIO

Um novo relatório publicado pela agência de pesquisa Blockchian Clovr indica que o número de pessoas que usam criptomoedas para enviar remessas aumentou. O documento ressalta que esse crescimento se deve em parte aos altos custos envolvidos nos sistemas tradicionais, como o PayPal ou a Wester Union.

A quantidade de dólares enviados ao exterior dos EUA registra seus níveis mais altos, uma tendência que é replicada em outros países que receberam grande número de migrantes. Eles buscam mecanismos mais simples para enviar dinheiro para suas casas sem assumir os altos custos envolvidos nas operações bancárias ou de intermediação.

 

CRIPTOMOEDAS E ENVIO DE REMESSAS

O estudo indica que as criptomoedas tornaram-se um dos métodos mais populares para enviar dinheiro para membros da família de um país para outro. Isso significa uma série de benefícios para os serviços oferecidos pelas operadoras popularmente conhecidas no setor de remessas.

De um total de 707 pessoas entrevistadas, 15,8% utilizam moedas digitais para enviar dinheiro para suas casas, ocupando o quarto lugar, atrás de serviços online, transferências bancárias tradicionais e empresas de remessas. Embora ainda não seja o método mais utilizado, está crescendo.

O uso de criptoativos tornou-se popular graças à sua adoção por grandes empresas. No caso das remessas, os entrevistados revelaram que preferiam seu uso, pois implicam uma margem de comissão menor do que a exigida por serviços como Western Union, PayPal ou Moneygram, especialmente ao enviar dinheiro para países africanos, pois implica no pagamento de tarifas muito maiores (até 20%).

O relatório diz:

 

"Se algumas das maiores empresas do mundo, como Microsoft e Starbucks, se sentirem à vontade para aceitar pagamentos com criptomoedas, isso deve inspirar maior confiança no uso dessas tecnologias financeiras para outros fins, como o envio de remessas".

 

MARGENS ALTAS

De acordo com os números indicados no relatório, para o envio de US$ 500 para o exterior dos EUA, aplicam-se as seguintes margens de comissão:

 

  • Os bancos cobram uma estimativa de 10,41% para a operação.
  • As agências dos correios retêm cerca de US$ 34 para envio.


Por sua vez, o uso de criptomoedas como Bitcoin (BTC) ou Bitcoin Cash (BCH) poderia até fazer com que o destinatário ganhasse mais dinheiro, já que evita altos custos de transação, taxas de conversão e a troca de ativos pode ser feita nos momentos em que o mercado joga a favor.

 

OUTROS DADOS INTERESSANTES

O relatório também demonstrou que mais homens usam criptomoedas para enviar remessas do que mulheres. 85% dos usuários se sentiram satisfeitos com este modo de operação.

O percentual restante - que não utilizou moedas digitais para essa finalidade - explicou que não optaram pelo mecanismo principalmente devido à falta de conhecimento.

Do total de pessoas entrevistadas, a maioria das remessas enviadas dos Estados Unidos vai para o México, China, Índia e Filipinas, respectivamente. E grande parte desse dinheiro é destinado a compra de alimentos.

Um dos lugares onde as remessas com moedas criptografadas se tornaram muito populares é na Venezuela: um país no qual condições econômicas ruins levaram uma porcentagem importante da população a migrar e procurar trabalho em outras nações, optando por esse método para enviar dinheiro para suas famílias de maneira mais prática e econômica.

Diante da crise no país sul-americano, as criptomoedas tornaram-se uma boa alternativa para superar o difícil cenário. Nesse sentido, as remessas com moedas digitais são muito mais populares, pois os meios mais tradicionais (sujeitos ao controle estatal) geram muita desconfiança entre os cidadãos.