CORPORAÇÃO ECONÔMICA DE NOVA YORK INAUGURA CENTRO DE EDUCAÇÃO BLOCKCHAIN

CORPORAÇÃO ECONÔMICA DE NOVA YORK INAUGURA CENTRO DE EDUCAÇÃO BLOCKCHAIN

Nova York não está desistindo da tecnologia de contabilidade digital que faz o Bitcoin e outros tokens funcionarem mesmo após o colapso do mercado de criptomoedas no ano passado.

O seu novo Centro Blockchain da Corporação de Desenvolvimento Econômico da Cidade de Nova York (EDC, sigla em inglês) foi inaugurado ontem, 10, e pretende começar a testar casos de uso de tecnologia no próximo outono, conforme informou a Bloomberg. O centro faz parte de uma parceria com o fundo de capital de risco Future/Perfect Ventures e a organização comercial "Global Blockchain Business Council".

Ainda não está claro quais áreas podem cobrir esses casos de uso. O EDC é uma corporação sem fins lucrativos cujo objetivo é apoiar o crescimento econômico dentro da cidade, atuando como "órgão" oficial de desenvolvimento econômico de Nova York.

Em maio do ano passado, foi anunciado que este projeto seria realizado e, 8 meses depois, ele se torna realidade. Naquela época, dizia-se que o centro procuraria tornar o ambiente regulatório mais atraente para empresas inovadoras. Isso significará, inevitavelmente, examinar os regulamentos da BitLicense do estado de Nova York.   

MEMBROS DA IBM E MICROSOFT

Essa iniciativa ocorre justamente quando várias startups de criptografia começaram a demitir funcionários devido ao atual mercado de baixa, mas isso não é necessariamente uma preocupação para o centro.

A cidade de Nova York contribuiu com US$ 100.000 para o novo Centro Blockchain, e a organização continuará a levantar fundos por meio de parcerias corporativas e quotas de associados.

A Microsoft Corporation e IBM já fizeram parceria com o centro, conforme revelou o sócio-gerente da Future/Perfect Ventures, Jalak Jobanputra.

ATIVIDADES A SEREM REALIZADAS

O novo centro, com sede no distrito de Flatiron, oferecerá aulas sobre codificação e apresentará palestras voltadas tanto para os desenvolvedores no espaço quanto para o público em geral.

Ana Arino, diretora de estratégia da EDC, relatou que o centro possui uma participação ativa de seus membros para alcançar a meta, mesmo que demore muito tempo. Ela acrescentou:

 

"É uma tecnologia incipiente, por isso é provável que haja incerteza sobre a sua evolução de um ano para o outro. Embora não saibamos o que o futuro nos reserva, queremos ter certeza de que desempenharemos um papel importante na formação dele”.