COREIA DO SUL TESTARÁ VOTAÇÃO BASEADA EM BLOCKCHAIN

COREIA DO SUL TESTARÁ VOTAÇÃO BASEADA EM BLOCKCHAIN

A votação de blockchain poderá em breve ser uma realidade na Coréia do Sul caso o teste em um sistema baseado na tecnologia de contabilidade distribuída for bem-sucedido.

O desenvolvimento do sistema de votação baseado em blockchain será concluído em dezembro. Uma criação da Comissão Nacional de Eleições da Coreia do Sul e do Ministério da Ciência e TIC, o sistema tem como objetivo aumentar a segurança e a confiabilidade dos serviços de votação on-line.

 

“Esperamos que o sistema baseado em blockchain aumente a confiabilidade da votação. O ministério continuará a apoiar a aplicação da tecnologia blockchain para ativamente utilizá-la em áreas que exigem credibilidade”, declarou Kim Jeong-won, funcionário do Ministério da Ciência e TIC.

 

Além de impedir a falsificação de votos, espera-se que o sistema baseado em blockchain permita aos candidatos e observadores acesso aos dados. De acordo com o Ministério da Ciência e as TIC, a novidade será aplicada em todas as etapas da votação online. Dependendo de como o julgamento se desenvolve, o ministério e o corpo eleitoral o integrarão ao sistema de votação on-line sul coreano, conhecido como K-Voting.

PARTICIPAÇÃO DA COMUNIDADE NA ALOCAÇÃO DE RECURSOS

Esta não é a primeira vez que a votação baseada em blockchain está sendo testada na Coreia do Sul. Em março do ano passado, a província de Gyeonggi-do utilizou um sistema de votação baseado em blockchain para decidir quais projetos comunitários deveriam priorizar o orçamento.

A iniciativa foi, no entanto, em pequena escala, pois apenas cerca de 9.000 moradores participaram. Entretanto, isso não impediu que as autoridades da província previssem o impacto revolucionário que o blockchain terá no mundo.

 

“Blockchains irão mudar o mundo dentro de alguns anos, assim como os smartphones fizeram. Podemos complementar os limites da democracia representativa com alguns sistemas de democracia direta usando blockchains, a tecnologia da Quarta Revolução Industrial”, afirmou Nam Kyung-pil, um funcionário do governo provincial de Gyeonggi-do.

 

INICIATIVA NORTE-AMERICANA

Há também outros lugares onde o voto baseado em blockchain já foi testado em pequena escala. Um deles é West Virginia, nos Estados Unidos. Depois de anunciar em abril que ofereceria votação fundamentada em blockchain para os virginianos ocidentais "estacionados" no exterior, o estado obteve sucesso nas pesquisas realizadas recentemente com quase 150 eleitores no exterior utilizando o sistema.

Apesar do entusiasmo demonstrado pelo voto baseado em blockchain, houve algumas "reservas" em determinados setores. Algumas das preocupações incluem o fato de que existe um potencial para que as opções de voto sejam "desanimadas" no futuro e, portanto, se tornem disponíveis ao público.

Além disso, foi sugerido que o voto "apoiado" em blockchain aumentaria a probabilidade de compra de votos, pois seria possível verificar se um eleitor que foi subornado votou conforme o "combinado". Com os estandes eleitorais, isso é improvável, já que apenas o eleitor sabe das escolhas que marcou.