CONFIRA ALGUMAS ALTERNATIVAS PARA ACOMPANHAR O HARD FORK DO ETHEREUM ENQUANTO ELE OCORRE

CONFIRA ALGUMAS ALTERNATIVAS PARA ACOMPANHAR O HARD FORK DO ETHEREUM ENQUANTO ELE OCORRE

A terceira maior blockchain do mundo por valor total, Ethereum, está prestes a atualizar seu código.

Nomeada Constantinopla, a atualização para todo o sistema, ou hard fork, deverá implementar várias melhorias tecnológicas, a maioria projetada para aumentar a usabilidade e melhorar o design de contrato inteligente, caso os usuários da rede decidam atualizar para o novo software quando for apresentado esta semana.

A empolgação já está se acumulando em torno da atualização, com os desenvolvedores apontando para uma upgrade específica - chamada EIP 1014 ou Skinny CREATE2 - como um caminho "pavimentado" para inovações técnicas.

Ainda assim, as estatísticas atualmente demonstram que a adoção de Constantinopla foi baixa até o momento. Embora os desenvolvedores digam que as métricas em questão não são uma representação justa do suporte geral, vale a pena "ficar de olho" para que não ocorra interferência na atualização.

Isso acontece porque Constantinopla é um tipo de atualização conhecida como hard fork. Em tal "modernização", todos os nós dentro da rede, como mineiros, trocas, empresas e usuários que armazenam cópias completas do blockchain, precisam atualizar seu software.

Se as partes interessadas da plataforma não atualizarem o software, isso pode levar à criação de duas blockchains incompatíveis. Criptomoedas como ethereum classic e bitcoin cash foram formadas a partir de tal evento.

No entanto, para que esse resultado ocorra, e para que a cadeia de divisão persista, deve haver algum incentivo para os usuários desejarem continuar a executar a instância mais antiga. A esse respeito, Constantinopla é uma atualização que contou com amplo apoio da comunidade.

Uma upgrade em particular é amplamente vista como necessária para a "saúde" continuada da rede e a operação do blockchain do ethereum: a remoção da bomba de dificuldade.

No entanto, embora em grande parte "não contencioso", Constantinopla não "passou sem o seu drama". Por apresentar um ajuste na economia da plataforma - reduzindo a recompensa em bloco de 3 ETH para 2 ETH por bloco - em sua corrida, os desenvolvedores foram forçados a navegar pelas visões conflitantes de investidores e mineradores, cada um lutando por um resultado diferente.

Por causa da mudança, Constantinopla também foi apelidada por alguns como “o terceiro”, uma homenagem aos eventos regulares de “corte pela metade” do bitcoin, pelos quais seu software reduz programaticamente a quantidade de novos fornecimentos que ele introduz em intervalos.

Como tal, vale a pena assistir a atualização conforme ela ocorre.

 

CONTAGEM REGRESSIVA DO HARD FORK

No Ethereum, os hard forks são acionados em um determinado número de bloco que foi embutido no software de atualização. Para participar do processo, os mineradores, as trocas, as empresas e os usuários que executam os nós completos devem fazer o download do novo software com antecedência, o que acionará o hard fork quando um determinado número de bloco for atingido.

Constantinopla está planejada para ativar no bloco número 7.080.000. No entanto, como o tempo necessário para criar blocos tende a flutuar, estabelecer quando o hard fork irá ocorrer pode ser difícil. Ainda assim, existem vários sites que medem o tempo necessário para produzir blocos e tentam estimar o momento em que tudo irá acontecer.

Uma dessas contagens está disponível na empresa de monitoramento e análise de blockchain, a Amber Data. Segundo o site, Constantinopla deve ser ativado na quinta, 17, por volta das 4:00 UTC. Outro site de contagem regressiva é o recurso de dados CoinGecko, que mostra estimativas semelhantes à Amber Data - prevendo que a bifurcação seja ativada por volta das 3:30 UTC desta quinta, 17.

Um cronômetro de contagem regressiva feito pelo gerente de lançamento do cliente Parity Ethereum, Afri Schoedon, afirma que o hard fork deve ser ativado na quinta, 17, por volta das 3:09 UTC.

A contagem regressiva de Schoedon tem a função mais ampla de rastrear o crescimento da blockchain do Ethereum. Embora existam diferenças sutis entre cada previsão, isso se deve à maneira como os sites abordam o cálculo e provavelmente se reconciliarão à medida que o número do bloco se aproximar, conforme ele explicou.

 

"O meu usa uma média de tempo fixo, por isso será mais e mais preciso quanto mais próximo chegarmos do garfo", declarou Schoedon.

 

MONITOR DE HARD FORK

Implantado pelos desenvolvedores para acompanhar o progresso e a integridade da atualização, uma das ferramentas mais úteis para acompanhar a evolução de Constantinopla é o monitor de bifurcação. Esse recurso permite que os responsáveis monitorem o hard fork em tempo real, fornecendo um gráfico visual dos dados do blockchain conforme são acumulados.

Fonte: http://forkmon.ethdevops.io/

Usando este mecanismo, é possível testemunhar a divergência da rede em Bizâncio (o atual paradigma de software) e blockchains de Constantinopla, e garantir que nenhum outro bloco esteja sendo produzido na antiga cadeia.

O monitor também rastreia a dificuldade e o hashate de ambas as cadeias, que devem diferir substancialmente quando o número do bloco for atingido. Se qualquer atividade de rede não-ortodoxa ocorrer no momento da "garfada", isso aparecerá no monitor.

 

MINERAÇÃO HASHRATE

Crítico para esta atualização em particular é o hashrate de mineração, e as maneiras pelas quais ele pode ser diferente uma vez que hard fork tenha ocorrido. Uma métrica que revela quantos mineradores estão participando do blockchain é uma boa maneira de demonstrar o suporte geral do upgrade.

Além disso, as mineradoras são uma parte importante responsável por orquestrar uma divisão em cadeia, porque elas são as que garantem se uma transação confirmará classificando-as em blocos.

Como tal, vale a pena observar se o hashate continua, e por quanto tempo, no blockchain de Bizâncio.

A taxa de hash nos dois lados da atualização é visível na ferramenta de monitor de fork do desenvolvedor do Ethereum. Além disso, o site de métricas "Etherscan" mostra um gráfico dessa taxa na rede ao longo do tempo.
 

NÓS

Embora não seja responsável por confirmar transações, outra seção crítica dentro do ecossistema Ethereum são os nós, que executam o software e armazenam cópias completas do blockchain.

Os nós completos geralmente são executados por desenvolvedores, empresas, pools de mineração e usuários que os utilizam para se beneficiar de maior privacidade e segurança. Os usuários que executam nós completos também podem testemunhar o fork blockchain em tempo real a partir de seu próprio computador.

Atualmente, um site de rastreamento chamado "Ethernodes" mostra estatísticas baixas para a adoção do upgrade de Constantinopla. De acordo com o monitor, o número total de nós completos compatíveis com a atualização em Geth e Parity é de apenas 15,5%.

No entanto, apesar de ser um número surpreendentemente baixo, Peter Pratscher, CEO da mineradora "Ethermine" e proprietária do site Ethernodes, afirmou que o dado era impreciso e que a adoção está mais próxima da maioria.

A Ethernode está no processo de atualização de seu software, com uma nova técnica de raspagem que atualmente está na fase de coleta de amostras da rede e criação de uma representação parcial.

De acordo com essa ferramenta, o número total de nós é atualmente de 44%. Embora isso ainda seja baixo, não é motivo de preocupação, conforme disse Schoedon em seu Twitter.

 

"Uma taxa de atualização de 44% é (provavelmente) boa, desde que comuniquemos sua importância para os principais interessados ​​do ecossistema do ethereum".

 

TRANSMISSÃO AO VIVO

Talvez a maneira mais envolvente de assistir à ativação de Constantinopla seja com comentários ao vivo dos desenvolvedores que escreveram o código. Aliás, eles estão se reunindo para assistir a troca de código em tempo real.

 

“É basicamente uma transmissão ao vivo de desenvolvedores principais e, potencialmente, alguns membros da comunidade que participam de uma chamada do Zoom. É uma celebração de Constantinopla acontecendo e uma chamada para monitorar a transição”, declarou Hudson Jameson, desenvolvedor de relações da Fundação Ethereum.

 

Acessível para o público no YouTube, a reunião deve começar logo antes do upgrade acontecer.