CIDADE ESPANHOLA ANUNCIA CRIAÇÃO DE UM "PORTO INTELIGENTE" BASEADO EM BLOCKCHAIN

CIDADE ESPANHOLA ANUNCIA CRIAÇÃO DE UM "PORTO INTELIGENTE" BASEADO EM BLOCKCHAIN

É isso mesmo. Um dos portos mais movimentados da Espanha, estabelecido na cidade de Valência, anunciou o desenvolvimento de um "porto inteligente" baseado em tecnologia e big data. O comunicado foi feito nesta quarta, 3, no porto holandês de Rotterdam durante a conferência "Smart Ports & Supply Chain Technologies" e a notícia foi publicada no site oficial do porto espanhol.

José Garcia de la Guía, responsável pela implantação de novas tecnologias na Autoridade Portuária de Valência, destacou os benefícios da utilização do blockchain e afirmou que a cidade era apenas um dos muitos portos para implementar a inovação no futuro:

 

“A partir de Valência, oferecemos o uso do blockchain como uma opção estratégica para proporcionar transparência da cadeia logística, de ponta a ponta, indo além do próprio porto. Isso significa que estamos planejando aplicar tecnologias de nuvem não apenas aos nossos parceiros da Port Community Systems, mas também a todos os outros. ”

 

Ele afirmou ainda que o blockchain iria contribuir para formar "portos sem papéis", se referindo a necessidade de eliminar documentos em papel no rastreamento da cadeia de suprimentos. A novidade iria aumentar muito a eficiência e reduzir o desperdício, o tempo de desenvolvimento e os custos de manutenção. O intuito de otimizar e infraestrutura e os recursos  também foi ressaltado.

O porto de Valência é o segundo maior do Mediterrâneo em volume. O maior porto, Algeciras, realizou recentemente um simpósio de TI no qual foi discutida a potencial aplicação da tecnologia blockchain.

A indústria naval parece fortemente preparada para adotar a tecnologia nos próximos meses e anos. A maior operadora portuária do Reino Unido está explorando soluções blockchain para criar interoperabilidade do sistema, um ponto importante no setor de logística de transporte. Ao eliminar a necessidade de reintroduzir dados manualmente, estima-se que a solução sugerida aumente a eficiência em toda a rede de 21 portas gerenciada pelos operador inglês.

Enquanto isso, o maior porto de embarque da Europa lançou um laboratório blockchain para desenvolver soluções de ponta na área. O porto de Roterdã agora hospeda o BlockLab, que busca fornecer dados de remessa em tempo real através de um blockchain interoperável, além de outras soluções com a tecnologia.

Na Ásia, a maior empresa de transporte marítimo de Cingapura fez uma parceria com a IBM para digitalizar certos documentos cruciais para o comércio e armazená-los com segurança em uma blockchain. Os documentos em questão (Bill of Lading ou e-BL no blockchain) têm várias utilidades: desde comprovar a propriedade das mercadorias, o recebimento da remessa e o contrato de transporte até outras funções de financiamento do comércio. O WEF estima que o blockchain pode gerar US $ 1,1 trilhão em receita comercial por meio da adoção em setores como o de navegação.