CBOE SUSPENDE TEMPORARIAMENTE AS OPERAÇÕES DE NEGÓCIOS PARA FUTUROS DE BITCOIN

CBOE SUSPENDE TEMPORARIAMENTE AS OPERAÇÕES DE NEGÓCIOS PARA FUTUROS DE BITCOIN

A CBOE Futures Exchange (mais conhecida como CBOE), a bolsa de futuros de Chicago, anunciou a suspensão temporária de seu mercado futuro de Bitcoin. A unidade da CBOE Global Markets informou ontem, 14, que não incluirá novos pedidos para este mercado em março, citando a necessidade de rever como ele se aproxima deste espaço novamente.

Em um aviso direcionado aos usuários, os operadores da CBOE declararam:

 

"A CBOE não irá adicionar contratos para o futuro Bitcoin - USD ("XBT") para operações em março de 2019. A CBOE está avaliando sua abordagem de como pretende continuar oferecendo derivativos de ativos digitais para comercialização. Embora a medida não constitua uma suspensão total no futuro, a CBOE atualmente não pretende listar contratos XBT adicionais para negociação".

 

No entanto, a bolsa acrescentou ainda que os contratos futuros de Bitcoin listados continuarão disponíveis para negociação. Isso significa que os últimos contratos listados, XBTM19, expirarão em junho deste ano.

CBOE VERSUS CME

Desde o seu lançamento, os contratos para o futuro Bitcoin (listado como XBT) listados pela CBOE vêm perdendo terreno para o futuro Bitcoin oferecido pela Bolsa Mercantil de Chicago (CME), cujo volume subiu em relação ao registrado pela bolsa nos últimos meses, apesar de ambas as instituições terem dado seus primeiros passos nesse mercado ao mesmo tempo.

No mês passado, de acordo com informações divulgadas pela Bitcoinist, os dois produtos atingiram mínimos anuais em termos de volume. Embora os futuros BTCs da CME ainda tivessem um volume mensal de aproximadamente US$ 1.500 milhões em dezembro de 2018, a CBOE mal negociava US$ 250 milhões no mesmo período.

Na verdade, a Bitcoinist também diz que a XBT nunca ultrapassou a marca de 2 bilhões de dólares da história.

Por sua vez, o futuro Bitcoin da CME registrou um volume recorde de quase US$ 5.000 milhões em julho de 2018 e provou ser mais popular entre os operadores, especialmente nos últimos meses.