BOLSA DE VALORES DE LONDRES INVESTE US$ 20 MILHÕES PARA AUTOMATIZAR A EMISSÃO DE TÍTULOS E AÇÕES NA BLOCKCHAIN

BOLSA DE VALORES DE LONDRES INVESTE US$ 20 MILHÕES PARA AUTOMATIZAR A EMISSÃO DE TÍTULOS E AÇÕES NA BLOCKCHAIN

A adoção da tecnologia Blockchain e criptomoedas pelo setor financeiro global parece estar avançando rapidamente. A Bolsa de Valores de Londres (LSEG, na sigla em inglês) liderou uma rodada de financiamento de US$ 20 milhões para a empresa Nivura. Com sede na própria capital inglesa, a startup é conhecida por emitir o primeiro bônus criptográfico automatizado no mundo.

A Nivaura é uma plataforma digital que utiliza a tecnologia Blockchain para automatizar a emissão de títulos, derivativos e ações. O processo elimina a necessidade de participação das pessoas. Isso leva à administração e liquidação rápidas por meio do uso de tokens digitais - que funcionam como ativos habilitados para o valor emitido no Blockchain.

Nikhil Rathi, chefe de desenvolvimento internacional da LSEG, disse que a compra de pequenas ações na Nivaura era sua maneira de tirar proveito da tecnologia distributiva. Rathi explicou que eles poderiam emitir instrumentos financeiros digitalizados em uma cadeia de blocos usando as soluções de liquidação da startup e acrescentou:

 

"O investimento reforça nosso relacionamento atual com a Nivaura e reforça a abordagem de parceria do Grupo à inovação para ajudar nossos clientes a acessar fundos de investimento globais".

 

A rodada de financiamento da bolsa londrina contou com a presença do Santander InnoVentures, da Aegon, da Transamerica Ventures, do Digital Currency Group e da MiddleGame Ventures. Esta é a mais recente tentativa de impulsionar a tendência atual da tecnologia. A influência dominante indica que a Blockchain seria útil na otimização dos processos do setor financeiro tradicional.

BLOQUEIO POR REGULADORES

Em seu estado atual, a emissão e a liquidação de instrumentos financeiros é um processo caro. A razão para isso é a participação de um grande número de intermediários. Mais etapas levam a mais atrasos e mais atrasos levam a mais custos. Com o Blockchain, as autoridades podem facilmente automatizar todo o processo por meio de tokenização. A integração poderia economizar até 80% do tempo e dinheiro, de acordo com Nivaura.

Ao mesmo tempo, a empresa também reconheceu os obstáculos regulatórios que poderiam surgir antes de emitir instrumentos financeiros simbólicos. A este respeito, o CEO da Nivaura, Avtar Sehra, comentou a reforma regulatória européia:

 

"Reprojetamos alguns de nossos principais fluxos de trabalho para fazer com que os instrumentos baseados em token cumpram com o Regulamento Central de Depositária de Ativos (CSDR). Portanto, não importa qual Blockchain seja usado, privado ou público. Por fim, o token criado nessa cadeia obedecerá aos requisitos do CSDR e poderá ser negociado em um local de comércio regulamentado".

 

Segundo relatos, um grupo de CSDRs da Europa e da Ásia já está explorando a custódia de ativos digitais para uma possível integração ao setor financeiro tradicional. Eles apresentarão suas conclusões na conferência anual de bancos e finanças do SIBOS, que acontecerá em Londres em outubro deste ano.