BANCO CENTRAL DO BRASIL BUSCA BARATEAR A CONCESSÃO DE CRÉDITO NO PAÍS ATRAVÉS DA BLOCKCHAIN

BANCO CENTRAL DO BRASIL BUSCA BARATEAR A CONCESSÃO DE CRÉDITO NO PAÍS ATRAVÉS DA BLOCKCHAIN

A questão dos juros no Brasil é assunto conhecido e recorrente no país. E não é novidade escutar que essa taxa aqui é uma das maiores do mundo.

Pois é. Essa situação dificulta e às vezes até impede a realização de uma série de investimentos, por tornar o crédito mais caro e abusivo. Só para se ter uma ideia, a diferença entre os juros cobrados em operações de crédito brasileiras e a taxa básica de juros chega a atingir até 35%, podendo ser oito vezes mais caro do que nos EUA.  

Atento a esse contexto, o Bacen (Banco Central do Brasil) iniciou uma busca por uma alternativa que possa baratear a concessão de crédito no país. Desta forma, a instituição anunciou que o seu Laboratório de Inovações Financeiras e Tecnológicas (Lift) - lançado em maio deste ano - concluiu o acompanhamento de 12 projetos, de um total de 79, que oferecem soluções quanto ao problema do crédito por meio da utilização de novas tecnologias, como o blockchain e a inteligência artificial.  

 

“Os proponentes das iniciativas selecionadas puderam apresentar suas ideias ao BC e receber um direcionamento quanto às melhores práticas de implementação, quanto aos problemas centrais que precisavam ser resolvidos e também quanto ao valor de negócio da inovação como contribuição para o Sistema Financeiro Nacional. Em três meses de interação entre o BC e as equipes dos projetos, que são oriundas da academia e do mercado, as ideias foram aprimoradas e ganharam mais foco na aplicação das novas tecnologias a problemas ou oportunidades no SFN”, declarou a instituição.

 

O evento de exposição dos protótipos concluídos e o detalhamento do Lift para a edição de 2019 será realizado em março do ano que vem. Dentre as propostas selecionadas, uma chama a atenção: o Digicash, que é um app que funciona como uma solução de pagamento instantâneo por meio de dispositivos móveis off-line. Considerando o nome e a funcionalidade, é igual ao primeiro projeto de criptomoeda desenvolvido pelo criptógrafo David Chauh.

As propostas são variadas e cada uma se direciona a um determinado contexto de trabalho, faixa etária e funcionalidade.

Além do Digicash, alguns outros projetos em desenvolvimento são: o Instant Spyglass, que é uma plataforma de identificação de fraudes com tecnologias de aprendizado de máquina; o Crédito Ideal, que utiliza inteligência artificial para configurar o perfil adequado para a tomada de crédito considerando os dados financeiros do usuário); o Meu Primeiro Cartão, que é uma plataforma educativa de gerenciamento financeiro para crianças de até dez anos; o Sistema Financeiro Digital (SFD), para efetuar transferência de valores entre clientes de instituições financeiras usando blockchains, e muitos outros.